Nesta última quinta-feira as ações nos EUA recuaram / caíram bastante, com Wall Street encerrando seu pior mês do ano de uma forma amarga.

• Dow: (-1,54%)
• S&P: (-1,19%)
• Nasdaq: (-0,36%)

• Setores: Destaque positivo no dia para biotecnologia XBI subindo (+0,06%) apenas. Na ponta contrária tivemos empresas financeiras XLF caindo (-1,57%) e consumo cíclico XLY fechando em queda de (- 1,67%).

• Dólar: O dólar fechou em alta +0,71%, cotado a R$ 5,4535.

• Economia: A fraqueza do mercado veio no último dia do que tem sido um mês difícil para as ações, com o aumento das taxas de juros futuras, temores de inflação e preocupações com o mercado imobiliário chinês turvando as ações. O S&P 500 encerrou setembro com queda de mais de 4%, seu pior mês desde março de 2020, quando a pandemia causou uma grande liquidação no mercado. O Dow e o Nasdaq sofreram seus piores meses em 2021. Olhando trimestralmente o Dow caiu 1,9%, enquanto o Nasdaq Composite caiu 0,3%. O S&P 500 manteve um ganho modesto e ainda está 15% acima no ano. Já outubro tem uma reputação de algumas vendas agressivas, mas no geral é o início de um melhor período de desempenho sazonal para as ações. O S&P 500 tem em média um ganho de 0,8% para o mês, de acordo com o Stock Trader’s Almanac.

 

Notícias Corporativas

IPO Olaplex
A Olaplex – ticker OLPX – estreou com força no mercado com expectativa inicial mais de 40% maior A empresa que fica sediada em Santa Bárbara, Califórnia, foi fundada para desenvolver produtos para os cabelos que reparam cabelos danificados por meio de cabeleireiros profissionais ou para uso doméstico. Ela veio ao mercado com um valuation esperado de 12 bilhões, sendo que é uma empresa com 82% de margem bruta, 72% de margem ebitida e crescimento de vendas de 90% nos últimos 12 meses. Obviamente os números impressionam e os investidores foram atrás do ativo, que inicialmente era para negociar entre 14-16 dólares, no final ficou entre 19-21 e no seu primeiro dia de negociação, ontem ficou próximo de 23,92 – alta de 17% na sessão.

Bed Bath & Beyond
As ações da Bed Bath & Beyond ticker BBBY despencaram 22% na quinta-feira, já que a empresa disse que viu uma queda acentuada no tráfego de clientes em agosto, afetando seus resultados fiscais do segundo trimestre. A grande varejista também está lidando com complicações da cadeia de suprimentos em todo o setor, que o presidente-executivo Mark Tritton disse ter sido “generalizado”. Ele disse que os custos da empresa aumentaram nos meses do verão americano, especialmente no final do segundo trimestre em agosto, prejudicando as vendas e os lucros. A Bed Bath & Beyond reduziu suas perspectivas de receita e lucro para o ano, e suas projeções para o terceiro trimestre parecem desanimadoras.

Veja como foi o resultado a Bed Bath & Beyond no 2 trimestre em comparação com o que Wall Street esperava:

Receita: US $ 1,99 bilhão contra US $ 2,06 bilhões esperados
Lucro por ação: 0,04 centavos ajustados contra 0,52 centavos esperados

A receita caiu 26%, para US $ 1,99 bilhão, de US $ 2,69 bilhões um ano antes. Isso ficou aquém das estimativas de US $ 2,06 bilhões. A Bed Bath & Beyond está remodelando suas lojas e lançando marcas próprias que vendem de tudo, desde toalhas de banho a utensílios de cozinha e decorações para dormitórios. No trimestre anterior, parecia que esses esforços estavam dando frutos e o ímpeto estava crescendo no negócio. Mas durante os meses de verão, esse progresso parou. Tritton explicou que, à medida que os temores da Covid-19 ressurgiam em meio à variação do delta em expansão, o ambiente se tornou mais difícil de ser trabalhado. Em estados como Flórida, Texas e Califórnia, que respondem por uma fatia substancial das vendas, o negócio foi prejudicado devido ao número crescente de casos de coronavírus na região, disse Tritton. Isso significa que não apareceram tantos compradores durante o que normalmente é uma movimentada temporada de volta às aulas para varejistas como a Bed Bath & Beyond. Isso pode significar problemas para rivais como Target, Walmart e Kohl’s, que ainda não divulgaram os resultados do período de volta às aulas.

Além disso a Bed Bath & Beyond reduziu suas expectativas e agora espera ganhar entre 70 centavos e US $ 1,10 por ação, em uma base ajustada, com vendas de US $ 8,1 bilhões a US $ 8,3 bilhões.

 

O que esperar para o mercado hoje:

• Hoje o mercado para continuar o movimento de aversão a risco da última semana. O grande destaque da madrugada foi a inflação da zona do euro que atingiu seu nível mais alto em 13 anos em setembro, enquanto o bloco luta contra os custos de energia crescentes. A inflação total ficou em 3,4% no mês passado, de acordo com dados preliminares do escritório de estatísticas da Europa, Eurostat. Este foi o nível mais alto desde setembro de 2008, quando a inflação foi de 3,6%. Ele vem depois que os preços ao consumidor alemães subiram 4,1% em setembro – o nível mais alto em quase 30 anos. O aumento foi impulsionado pela alta nos preços da energia, aprofundando a preocupação entre os legisladores. O preço do gás do primeiro mês no hub holandês de TTF, uma referência europeia, aumentou quase 400% desde o início do ano. Com isso o movimento negativo no mercado continua.

• Ásia: Durante a madrugada no continente asiático, as ações operaram em tons positivos. O índice de Shangai (+0,90%), enquanto no Japão, a Nikkei fechou (-2,31%).

• Europa: Na Europa, a Euro Stoxx também opera em (-0,83%). A CAC40 (índice francês) (-0,73%) e a DAX (índice alemão) (-0,74%), enquanto, na Inglaterra (FTSE100) (-0,86%).

• Futuros: e os futuros americanos temos o Nasdaq com -0,40%, -0,49% para o S&P e de -0,57% para o Dow. • Agenda: dados de PMI da zona do Euro.

• Balanços: Sem balanços relevantes no momento.

Gostou deste artigo?

Se inscreva na nossa newsletter e fique por dentro de tudo

    Desejo receber atualizações de notícias, eventos e ofertas

    Ainda não é cliente?

    Abra sua sua conta sem custos para ter acesso a todo o nosso material

    Abra sua conta