A sexta-feira marcou o primeiro dia de atividade das bolsas em outubro, e o início do último trimestre de 2021. As principais bolsas americanas avançaram em meio a notícias de um novo tratamento oral desenvolvido pelas farmacêuticas Merck e Ridgeback Biotherapeutics contra a Covid, que impulsionou as ações ligadas à reabertura econômica. As empresas pretendem buscar autorização emergencial para o remédio. Caso seja autorizado por órgãos regulatórios, este poderá se tornar o primeiro tratamento oral antiviral com efeito real sobre os pacientes a ser empregado.

• Dow: +1.43%
• S&P: 1.15%
• Nasdaq: 0.82%

No mês, o S&P fechou com queda de 4,8%, encerrando uma sequência de sete meses de ganhos; o Dow caiu 4,3% e o Nasdaq, 5,3%, em seus piores desempenhos em 2021 até o momento. No Avenews de hoje faço um resumo dos motivos da queda em setembro. E hoje a noite temos nosso Conexão Avenue, onde vamos falar um pouco mais da cena macro e o que esperar para o mês de outubro no mercado americano.

• Setores: destaque para o setor de energia com o XLE subindo 3.4% e o XOP (mais focado em produção de petróleo) subindo 2.6%; além deles o setor financeiro se beneficiou da escalada dos yields americanos e vimos o KRE voltado pra bancos médios subir 2.4% e o XLF + 1.7%. Na ponta contrária o IBB de Biotech, mas com um perfil muitomais concentrado que o XBI, teve queda de 1.7% e foi o destaque negativo. Falando em empresas de Biotech, a notícia da pílula da Merck afetou algumas empresas do setor. As ações da Moderna (MRNA) caíram 11.4%, Biontech -6.7% e Regeneron -6%. Por outro lado, as ações da Merk (MRK) saltaram 8.4% e também vimos algumas ações ligadas a reabertura performando bem: United Airlines +7.9%, Delta Air Lines +6.5% e American Airlines +5.5%.

• Dólar: O dólar fechou em forte queda de 1,42%, cotado a R$ 5,37 na sexta-feira, a maior queda em 3 semanas. Na semana, houve alta de 0,47% e no ano a moeda norte-americana acumula avanço de 3,5%.

 

Notícias Corporativas

Merck (MRK)
Merck e Ridgeback Biotherapeutics disseram na sexta-feira que desenvolveram um medicamento que reduz o risco de hospitalização ou morte em cerca de 50% para pacientes com casos leves ou moderados de Covid. As empresas planejam buscar autorização de emergência para o tratamento antiviral para Covid depois que o medicamento mostrou “resultados convincentes” em testes clínicos.

O medicamento, molnupiravir, é administrado por via oral e atua inibindo a replicação do coronavírus dentro do corpo. Uma análise provisória de um estudo de fase 3 descobriu que 7,3% dos pacientes tratados com molnupiravir foram hospitalizados em 29 dias. Dos pacientes que receberam um placebo, 14,1% foram hospitalizados ou morreram. Nenhuma morte foi relatada em pacientes que receberam molnupiravir no período de 29 dias, enquanto oito mortes foram relatadas em pacientes tratados com placebo. A fase 3 do ensaio foi conduzida em mais de 170 locais, em países como EUA, Brasil, Itália, Japão, África do Sul, Taiwan e Guatemala.

“A notícia da eficácia deste antiviral em particular é obviamente uma notícia muito boa”, disse o consultor médico chefe da Casa Branca, Dr. Anthony Fauci, em uma entrevista coletiva da Covid na sexta-feira.”

“A empresa, quando nos informou ontem à noite, mencionou que enviará seus dados ao FDA em breve.”

A Merck já começou a produzir molnupiravir. A empresa espera produzir 10 milhões de pílulas até o final de 2021 e mais doses em 2022. A empresa concordou no início deste ano em fornecer aos EUA cerca de 1,7 milhão de molnupiravir se receber autorização de uso de emergência ou aprovação total do FDA. O governo federal também tem a opção de comprar doses adicionais se o medicamento for aprovado, disse o coordenador de resposta ao coronavírus da Casa Branca, Jeff Zients, na reunião de sexta-feira.

A Merck é uma farmacêutica de grande porte que tem um valor de mercado de mais de US$ 200 bilhões, atualmente negocia com um yield de 3.2% e uma relação preço/Lucro estimada para os próximos 12 meses de 14x. Apesar da alta de sexta suas ações estão estáveis no ano.

Walt Disney (DIS)
As ações da Disney dispararam 4% na sexta com a notícia de que empresa e Scarlett Johansson resolveram um processo envolvendo o filme “Viúva Negra”. Johansson processou a Disney pelo lançamento do filme no serviço de streaming Disney + ao mesmo tempo em que estreia nos cinemas.

 

O que esperar para o mercado hoje:

• Ásia: As bolsas asiáticas tiveram resultados variados entre si na segunda-feira. Em Hong Kong, o índice Hang Seng perdeu 2,9% na segunda depois de voltar a funcionar após um feriado na sexta. A negociação dos papéis do China Evergrande foram pausadas, em meio a temores sobre a saúde da incorporadora. Além disso, as negociações dos papéis do Evergrande Property Services também foram pausadas. A empresa afirma que espera um anúncio quanto a uma “possível oferta geral por ações da companhia”. As negociações dos papéis de outra incorporadora chinesa, a Hopson, também foram suspensas. A empresa atribuiu a pausa por conta de uma “grande transação”, sob a qual concordou em comprar os papéis de outra empresa. Nas últimas duas semanas, o Evergrande deixou de pagar os juros de dois títulos. Além disso, no Japão, o Nikkei recuou 1,13%.

• Europa: As bolsas europeias operam em território positivo nesta segunda-feira. O índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, recua 0,3%, com destaque negativo para papéis de bancos e do setor automotivo, e positivo para papéis do setor de saúde.

• Futuros: Os índices futuros americanos recuam nesta segunda.Dow -0.2%, S&P -0.3% e Nasdaq -0.4%. No quarto trimestre, o S&P tem, em média, ganhos de 3,9%.

Agenda: nada de mais relevante hoje, mas essa é a primeira semana do mês então costumeiramente temos uma bateria de indicadores pelo mundo ao longo da semana. O mais relevante deles vem na sexta quando será divulgado o relatório de emprego dos Estados Unidos, que pode influenciar sobre a decisão do Federal Reserve sobre quando reduzir seu programa de compra de títulos. A expectativa e economistas ouvidos pela FacSet é de que 475 mil novos empregos tenham sido adicionados em setembro, frente a 235 mil em agosto –500 mil vagas a menos do que o esperado.

Gostou deste artigo?

Se inscreva na nossa newsletter e fique por dentro de tudo

    Desejo receber atualizações de notícias, eventos e ofertas

    Ainda não é cliente?

    Abra sua sua conta sem custos para ter acesso a todo o nosso material

    Abra sua conta