Esta quarta-feira foi bem volátil para os mercados. Os índices nos Estados Unidos abriram em queda, mas reverteram esse movimento ao longo do dia com notícias sobre um possível acordo do teto de dívidas americano.

• Dow: +0,30%
• S&P: +0,41%
• Nasdaq: +0,47%

Como falei, os índices mudaram de direção ao longo do dia com notícia de que o líder da minoria no Senado (o senador republicano Mitch McConnel) sugeriu um alívio, pelo menos no curto-prazo, do teto da dívida americana com o objetivo de evitar um calote dos Estados Unidos. Segundo ele, enquanto os democratas não entram em um consenso a respeito de uma solução, essa pode ser uma saída momentânea. Cena ainda está indefinida nesse sentido. Além disso ontem tivemos os dados de geração de empregos no setor privado medidos pela pesquisa ADP que mostrou números melhores que o esperado e ajudaram num sentimento mais positivo para o mercado. O número de empregos privados subiu 568 mil em setembro, acima da estimativa de economistas ouvidos pela Dow Jones, de 425 mil.

• Setores: Destaque positivo para o setor de utilities (XLU), que subiu 1,5%. Do lado negativo tivemos queda de 1,04% no setor de petróleo com o XLE (energia) caindo 1,05% e o XOP (mais voltado para exploração) caindo 2.2% acompanhando o movimento do preço do barril de petróleo. Em termos de papéis destaque para as ações da Enphase Energy (ENPH) com alta de 4.2% e para Intercontinental Exchange (ICE) com alta de 3.8%; na ponta oposta as ações da Moderna (MRNA) seguiram em queda fechando ontem com -9%, outra que não foi bem foi a Eletronic Arts (EA) caindo 7%. Todas ações que eu falei fazem parte do índice S&P 500.

• Dólar: O dólar fechou estável em R$ 5,4861, uma alta de 0,02%, renovando a máxima dos últimos seis meses.

 

Notícias Corporativas

Constellation Brands (STZ)
A dona da marca de cerveja Corona reportou números abaixo do esperado pelo mercado em termos de lucros, mas bateu em termos de receitas. Em linhas gerais não foi um resultado que tenha surpreendido positivamente o mercado.
• Lucro trimestral de US$ 2,38/ação abaixo dos US$ 2,77 esperados e mostrando queda de 14% na
comparação anual.
• Receita superou estimativas batendo $2,371 bilhões e crescendo 5% na comparação anual. Vendas de cervejas (cerca de 80% da receita) aumentaram 14% puxada pelas marcas mais conhecidas como Corona e Modelo. Já as vendas de vinhos e outras bebidas alcoólicas caíram 18% – puxados por menores volumes de exportações. A empresa tem um pipeline de inovação focado para o próximo trimestre: Woodbridge Wine, Seltzers, Woodbridge Sparkling Infusions e Woodbridge 3 litros; vinho da caixa; bem como expansão significativa da vodka SVEDKA e coquetéis prontos para beber em outros mercados além dos EUA. Apesar de ter decepcionado em termos de lucro por ação nesse trimestre, a Constellation aumentou a perspectiva de lucro para o ano. Fora isso reforçaram programa de recompra de ações de até $1.4 bi até setembro/22.
Ações da empresa caíram 0.7% e no ano -3.2%. Empresa vale $41 bilhões na bolsa americana.

Levi Strauss & Co (LEVI)
A marca de roupas Levi’s superou as expectativas dos analistas com a divulgação do seu resultado no terceiro trimestre de 2021, por conta da demanda crescente dos consumidores durante a temporada de volta às aulas.
Embora muitas empresas de vestuário tenham sido atingidas por gargalos na cadeia global de suprimentos, a Levi’s se saiu bem comparativamente devido à sua fabricação diversificada. Um dos locais mais atingidos pelas restrições de funcionamento das fábricas foi o Vietnam, mas apenas 4% da produção da companhia vem de lá.
Mesmo assim, o impacto foi na ordem dos US$ 10 milhões na receita.
• Receita em linha com o esperado, de US$ 1,5 bilhão
• Lucro por ação subiu para US$ 0,48 bem acima das expectativas que rondavam os US$ 0,37 por
ação
Caso o cenário da pandemia não se deteriore, a Levi’s informou que está esperando um crescimento de 21% na receita no ano contra ano, ligeiramente abaixo das expectativas do mercado.
As ações da empresa caíram 5% ontem, mas apontam para uma abertura positiva com alta de 3.7% A empresa tem um valor de mercado de US$ 9,8 bilhões e suas ações sobem cerca de 21% no ano.

 

O que esperar para o mercado hoje:

• Ásia: As bolsas asiáticas tiveram altas na quinta-feira, com destaque positivo para papéis listados em Hong Kong, onde o índice Hang Seng avançou 3,07%, impulsionado pelos papéis da Tencent (+5,6%) e da Alibaba (+7,28%). Na Coreia do Sul, o Kospi avançou 1,76%; no Japão, o Nikkei teve alta de 0,54%. Na China continental, as bolsas continuaram fechadas na quinta por conta de feriados.
• Europa: As bolsas europeias voltam a avançar nesta quinta. O índice Stoxx 600 tem alta de 0,8%, com destaque positivo do setor automobilístico e negativo dos setores de petróleo e gás. Dados divulgados nesta quinta indicam que a produção industrial na Alemanha recuou mais do que o esperado em agosto, em meio a problemas nas cadeias de suprimento. A produção caiu mais de 4% na comparação mensal, após alta de 1,3% em julho, uma forte piora em relação à previsão de queda de 0,4% de analistas ouvidos pela Reuters.
• Futuros: apontam para uma quinta-feira positiva com o Dow subindo 0.6%, S&P +0.7% e o Nasdaq +1%. • Agenda: Pedidos iniciais de seguro desemprego. Amanhã tem payroll!
• Resultados: Conagra Foods (CAG) E da Tilray (TLRY) do setor de cannabis

Gostou deste artigo?

Se inscreva na nossa newsletter e fique por dentro de tudo

    Desejo receber atualizações de notícias, eventos e ofertas.

    Ainda não é cliente?

    Abra sua sua conta sem custos para ter acesso a todo o nosso material

    Abra sua conta