Como foi o mercado ontem:

Nesta segunda-feira, os principais índices americanos encerraram o dia em território positivo, com o Dow Jones apagando as perdas dos pregões anteriores, em meio a um alívio com as preocupações sobre a nova variante.

• Dow: (+1,87%)
• S&P: (+1,17%)
• Nasdaq: (+0,93%)

• Setores: Destaque positivo para Utilities XLU (+1,53%), Industrial XLI (+1,69%) e Bens de Consumo XLP (+1,76%). Na ponta negativa, Biotecnologia IBB (-2,10%). Entre os papeis, United Airlines (+8,3%) e Norwegian Cruise (+9,5%), foram as maiores altas do S&P 500. Liderando as perdas, Pfizer (-5,14%) e Moderna (-13,4%).

• Dólar: a moeda norte-americana avançou 0,13%, cotada a R$ 5,69.

Notícias Corporativas

Altas e Baixas…
As ações vinculadas à reabertura da economia ganharam força, impulsionando o índice Dow Jones. A General Electric e a Boeing subiram cerca de 3% cada.
As empresas de viagens, lazer e hospitalidade registraram os maiores avanços. A United e a American Airlines subiram mais de 7%. As companhias de cruzeiros, Royal Caribbean e Carnival Cruise Lines avançaram 8%. As ações do Wynn Resorts subiram 6%, enquanto Marriott e Hilton subiram 4% cada. Esse movimento veio após as declarações do conselheiro médico chefe da Casa Branca, Dr.
Anthony Fauci, dizendo que os dados iniciais sobre a variante ômicron são “encorajadores”.
O Nasdaq também fechou em alta, mas algumas ações de saúde e tecnologia limitaram os ganhos. A Moderna, maior queda do índice, cedeu 13,5%. As ações de semicondutores, AMD e Nvidia tiveram queda de 4% e 3%, respectivamente.

Lucid Group ($LCID)
As ações da montadora de veículo elétricos, Lucid, caíram 5,1% após a notícia de que a empresa recebeu uma intimação na sexta-feira da Securities and Exchange Commission “solicitando o fornecimento de certos documentos relacionados a uma investigação”. A Lucid é a mais recente startup de EVs a ir a público via SPAC. Desde sua estreia, as ações da companhia acumulam alta de 354%.

Alibaba ($BABA)
Os papeis da Alibaba fecharam em alta de 10,4%, após anunciar uma reorganização de seus negócios de comércio eletrônico doméstico e internacional, com o intuito de se tornar mais ágil e acelerar seu crescimento. O grupo também disse que substituirá seu CFO. As mudanças ocorrem num momento em que a Alibaba enfrenta ventos contrários em várias frentes, incluindo aumento da concorrência, desaceleração da economia chinesa e repressão regulatória. Este ano, suas ações acumulam queda de 47%.

MongoDB ($MDB)
As ações da empresa de software de banco de dados, MongoDB, operavam em alta de 17% nas .
negociações estendidas, após a divulgação de seus resultados trimestrais. As receitas da empresa somaram U$ 227 milhões, contra U$ 205 milhões esperados e o prejuízo por ação foi de -U$0,11, enquanto os analistas estimavam perdas de -U$0,38.
A receita cresceu 50% ano a ano, impulsionada pelo acréscimo de 84% nas vendas do seu serviço de banco de dados em nuvem, chamado Atlas, que conta com clientes como a Coinbase em seu portfólio. Entretanto, o prejuízo líquido total da empresa aumentou para U$ 81,3 milhões, de U$ 72,7 milhões no mesmo trimestre do ano anterior, impactado por maiores despesas com vendas e marketing.
A companhia elevou sua orientação para o ano inteiro, projetando um prejuízo líquido ajustado por ação de -U$ 0,74 a -U$ 0,71 centavos e cerca de U$ 850 milhões, números melhores que o previsto pelos analistas.
Hoje, a MongoDB está avaliada em U$ 30 bilhões, negociando a 43x sales. Suas ações registram alta de 20% no ano.

MicroStrategy ($MSTR)
Outra que também sofreu no dia de ontem foi a MicroStrategy. As ações da empresa de
business intelligence caíram 5,5%, após o sell-off que atingiu o mercado de cripto no fim de semana.
A companhia detém bilhões de dólares em bitcoins em seu balanço, por esse motivo, suas ações são sensíveis às flutuações no preço da criptomoeda. As ações da empresa registram alta de 53% este ano.

O que esperar para o mercado hoje:

• Ásia: O índice de ações da Ásia-Pacífico da MSCI se encaminhou para o seu maior ganho em mais de 3 meses. As ações de Hong Kong subiram com o Alibaba Group liderando a recuperação nas empresas de tecnologia chinesas após a companhia anunciar uma mudança em sua gestão. Os legisladores da China sinalizaram ontem uma flexibilização das restrições ao mercado imobiliário e prometeram estabilizar a economia. O BC chinês disse que reduzirá a taxa de reservas obrigatórias da maioria dos bancos, ou seja, essa é uma medida que provê liquidez ao mercado; e o primeiro- ministro Li Keqiang afirmou que há espaço para uma variedade de ferramentas de política monetária. As exportações da China cresceram mais rápido do que o esperado, +22% em novembro (base anual) e superam expectativas de 16,1%; as importações aumentam 31,7%, muito acima do esperado pelos analistas (+19,8%).

• Europa: Na Europa tivemos o dado de PIB da região. A economia do bloco se expandiu em um ritmo mais forte no terceiro trimestre, recuperando quase totalmente a perda registrada durante a recessão provocada pela covid-19. O PIB cresceu 3,9% no 3oTRI, mais do que a expansão de 3,7% apontada pelo mercado segundo a Dow Jones Newswire.

• Futuros: em suma, amanhecemos com uma diminuição das preocupações com a gravidade da variante ômicron. Os dados iniciais mostram que o aumento nos casos de ômicron não sobrecarregou os hospitais até agora. Além disso, as medidas de flexibilização monetária da China para sustentar o crescimento também deve oferecer algum socorro para os mercados afetados por crises de volatilidade. Nesse cenário os futuros americanos sobem.

• Commodities: Petróleo estende ganhos acima de US$ 70. Metais sobem em Londres e minério de ferro sobe para a máxima em 5 semanas.

• Agenda: –

• Balanços: AutoZone, Toll Brothers, Caseys General Stores e ChargePoint Holdings.

Gostou deste artigo?

Se inscreva na nossa newsletter e fique por dentro de tudo

    Desejo receber atualizações de notícias, eventos e ofertas

    Ainda não é cliente?

    Abra sua sua conta sem custos para ter acesso a todo o nosso material

    Abra sua conta