Ontem foi mais um dia positivo para as bolsas americanas, com os investidores ainda otimistas com a resolução dos problemas da dívida americana e de números de pedidos iniciais de seguro-desemprego melhor do que o esperado. Hoje às 9h30 tem payroll, que deve ditar o humor do mercado ao longo do dia.

• Dow: +0,98%
• S&P: +0,83%
• Nasdaq: +1,05%

• Setores: O destaque positivo para o setor de consumo discricionário (XLY), que subiu 1,5%. Do lado negativo, tivemos queda de 0,53% no setor de utilities (XLU), corrigindo parte da alta que teve na quarta- feira. Em termos de papéis destaque para as ações da Ford (F) e da General Motors (GM) com alta de 5.5% e 4,7% respectivamente; na ponta oposta as ações do Facebook (FB) voltaram a cair, acompanhado da T-Mobile (TMUS) e do Netflix (NFLX). Porém, as quedas não foram acentuadas, em torno de 1.1 e 1.3%.

• Dólar: Mais um dia negativo para o real. O dólar subiu novamente, alcançando R$ 5,5174 (+0,57%), renovando a máxima desde 22 de abril.

 

Notícias Corporativas

O QUE ESPERAR DA SAFRA DE BALANÇOS DO 3T21
Primeiro convém lembrar ou salientar que os investidores ficam muito preocupados com as notícias macroeconômicas ou as diferentes coisas que afetam o mundo hoje e sem dúvida isso é importante. Mas é também muito importante prestar atenção nos resultados trimestrais das empresas. Penso que esse pode ser um trigger para movimentações mais bruscas no mercado, especialmente no tradicionalmente volátil outubro.

Agenda. Para te situar, semana que vem teremos de fato o pontapé inicial da safra de balanços. Na quarta-feira (dia13) o JP Morgan (maior banco dos EUA em valor de mercado) divulgará seus números; junto a ele teremos a Delta Airline (segunda maior empresa aérea dos EUA) e a Blackrock (maior gestora de recursos do mundo). Na quinta será a vez do mercado descobrir os números do Bank of America, Citigroup, Wells Fargo, Morgan Stanley, US Bancorp, além da UnitedHealth (maior empresa de saúde do mundo) e das farmácias WalgreenBoots. Pra encerrar a semana temos o Goldman Sachs, General Eletric, VFC (dona das marcas Timberland, North Face, Vans entre outras) e a Prologis (simplesmente o maior fundo imobiliário de galpões do mundo).

Expectativas. De forma agregada as empresas devem seguir reportando números bem fortes na comparação anual – vale lembrar que a base ainda é fraca (junho a agosto de 2020). No entanto, já com desaceleração frente ao 2T que marcou o pico da atividade aqui nos EUA. O mercado hoje trabalha com uma expectativa de crescimento de lucros de +26% e de receitas de +13% para as empresas do S&P 500. Para as small caps (empresas do S&P 600 com menos de US$4 bilhões de capitalização de mercado), a inflexão esperada é maior, com lucros crescendo 43% e receitas 16%.

Importante. Em se tratando de resultados o que importa para o curto prazo, é tamanho das surpresas e o guidance das empresas. Mercado vai olhar com muito cuidado sobre o impacto nos resultados das crescentes pressões de custo em meio a interrupções na cadeia de suprimentos e escassez de mão de obra / material porque isso pressionam margens.

Bancões. Falando especificamente dos bancões que abrem a safra na semana que vem. Eles devem reportar um crescimento de lucro bem mais moderado uma vez que grande parte das reversões de provisões já foram contabilizadas nos últimos trimestres. Em relação aos bancos o foco deve recair nas recompras de ações e nos dividendos. Além disso, as divisões de banco de investimento devem entregar ganhos elevados graças a um aumento nas operações de aquisições e IPOs; além disso tivemos fortes volumes de negociações de ações que ajudam nas mesas de ações e derivativos; e por fim mercado vai observar se houve aumento nos empréstimos comerciais e industriais – havia desacelerado no último trimestre e também porque funcionam como proxy para recuperação econômica.

 

O que esperar para o mercado hoje:

• Ásia: As bolsas chinesas registraram altas no primeiro dia de negociações, após um feriado de uma semana. Dados divulgados na sexta-feira indicaram que a atividade do setor de serviços voltou a níveis saudáveis no país. O Shanghai Composto avançou 0,67%; em Hong Kong, o Hang Seng teve alta de 0,27%; no Japão, o Nikkei fechou em alta de 1,34%; e na Coreia do Sul o Kospi recuou 0,11%. Na sexta, a fabricante coreana de celulares Samsung afirmou que o seu lucro operacional no trimestre encerrado em setembro deve ter sido cerca de 28% maior em relação ao mesmo período do ano anterior. Assim, o terceiro trimestre pode marcar o maior lucro trimestral da Samsung em três anos.

• Europa: As bolsas europeias operam com leves recuos na sexta, após uma semana volátil. O índice Stoxx 600 tem queda de 0,35%, com destaque positivo do setor automobilístico, e negativo do setor de tecnologia. Na quinta, a Irlanda abriu mão de sua oposição a criação de uma nova regra de imposto corporativo global. Ela concordou em abandonar o seu imposto de 12,5% para grandes operações multinacionais, o que pode ser essencial nos esforços para instituir uma taxa mínima de, ao menos, 15% em nível global.

• Futuros: de lado a espera do Payroll.

• Agenda: Payroll as 9h30 do Brasil. A expectativa de analistas ouvidos pela Dow Jones é de que 500 mil novos empregos tenham sido criados em setembro. Em agosto, 235 mil empregos haviam sido criados, um saldo abaixo da estimativa do consenso do mercado, de 720 mil empregos. Na quinta, o Departamento de Emprego dos Estados Unidos afirmou que o número de novos pedidos de seguro-desemprego na semana passada havia somado 236 mil, abaixo da expectativa de economistas de 345 mil. O número total de pedidos contínuos de seguro caiu em 97 mil, a 2,71 milhões.

Gostou deste artigo?

Se inscreva na nossa newsletter e fique por dentro de tudo

    Desejo receber atualizações de notícias, eventos e ofertas.

    Ainda não é cliente?

    Abra sua sua conta sem custos para ter acesso a todo o nosso material

    Abra sua conta