Avenue
Compartilhe este post

Na hora de escolher os ativos que vão compor a carteira de investimentos, uma das métricas mais amplamente utilizadas pelos investidores é o Lucro por Ação (LPA). Esse indicador oferece uma visão clara sobre a rentabilidade da empresa e insights importantes para o seu processo de tomada de decisão.

Porém, você pode se perguntar sobre como é possível fazer o cálculo e avaliar o Lucro por Ação de uma companhia. É para esclarecer essa e outras dúvidas que preparamos um texto completo.

Quer saber mais sobre esse indicador fundamental para tomar decisões melhores na sua alocação de capital? Então, confira este texto agora mesmo!

 

O que é Lucro por Ação (LPA)?

O Lucro por Ação (LPA) é um indicador fundamentalista relevante que pode ajudar a entender se uma empresa é lucrativa ou não. Por exemplo, quando uma companhia apresenta um LPA negativo, ela está operando com margens mais baixas e, consequentemente, pode acumular prejuízos.

Essa métrica é calculada, em geral, no período de resultado de exercício e pode ser mensurada por meio de uma média ponderada entre ações ordinárias e preferenciais, sendo muitas vezes divulgado nos relatórios das companhias aos investidores.

Porém, é possível realizar o cálculo considerando apenas um dos tipos de ações, além de existirem 3 tipos diferentes de LPA, sendo:

  • LPA corrente — usa como referência os números do ano anterior, já auditados e completamente relatados, oferecendo uma visão retrospectiva do desempenho financeiro da empresa durante esse período;
  • LPA atual — combina números do ano atual com projeções futuras para o restante do ano, permitindo visualizar o desempenho recente e sua trajetória esperada;
  • LPA futuro — toma como base os números e projeções para um período além do ano atual, o que pode refletir as expectativas dos analistas e investidores sobre o desempenho financeiro futuro da empresa, sujeito a incertezas.

Como já mencionado, o natural é utilizar o LPA corrente, mas conhecer essas outras possibilidades é uma maneira de enriquecer a sua análise e encontrar ativos para a sua carteira.

 

Como calcular o LPA de uma empresa?

Agora que você já sabe o que é o LPA, o próximo passo é saber como calcular esse indicador. Nesse sentido, basta coletar os dados necessários para aplicar a seguinte fórmula:

 

LPA = Lucro Líquido ÷ Número de ações emitidas

Por exemplo, suponha que você está investindo em uma empresa que está listada no mercado internacional e ela teve um lucro líquido de US$ 15 bilhões. Além disso, o seu capital está dividido em 10 bilhões de ações.

Dessa forma, aplicando a conta acima, o LPA dessa companhia fictícia é de US$ 1,5. Ou seja, ela gerou, para cada ação disponível, um lucro líquido de US$ 1,50.

 

Como analisar o LPA?

Existem várias estratégias que você pode usar para avaliar o LPA de uma empresa na qual deseja investir. A seguir, explicamos os principais tipos de análise que podem ser realizados:

  • comparação histórica — essa avaliação é feita ao observar o LPA ao longo de vários períodos, como trimestres ou anos. Esse tipo de abordagem ajudará a identificar tendências e padrões no desempenho, auxiliando na sua tomada de decisão;
  • comparação setorial — compare o LPA da empresa com a média de outras do mesmo setor para verificar se ela está com um desempenho acima, igual ou abaixo da média;
  • comparação concorrencial — nessa avaliação, é feita uma análise para entender como está o desempenho da companhia em relação aos principais concorrentes;
  • comparação por recorrência — auxilia a compreender se os bons resultados líquidos são recorrentes ou não recorrentes.

Vale ainda acompanhar as notícias dos mercados e setores para avaliar como os eventos externos podem ter impactado o LPA da empresa. Nesse sentido, observe questões como condições econômicas gerais ou crises de mercado, pois elas podem influenciar a interpretação do LPA e suas implicações para a companhia.

 

Quais os cuidados ao usar o LPA?

Existem vários cuidados que precisam ser adotados para fazer um bom uso desse indicador. Nesse sentido, é preciso contextualizar o cenário em que a empresa analisada está incluída, além de não utilizar um único indicador para tomar as suas decisões de investimentos. Há várias métricas que podem auxiliar na hora de escolher suas ações, como:

  • Preço/Lucro (P/L) — serve para comparar o preço atual da ação com o lucro por ação (LPA), indicando quanto os investidores estão dispostos a pagar por cada unidade de lucro gerado;
  • Retorno sobre o Patrimônio Líquido (ROE) — mede a eficiência com que um negócio utiliza seu patrimônio líquido para gerar lucro;
  • Retorno sobre Capital Investido (ROIC) — avalia a eficiência da organização em usar o capital investido para gerar lucro;
  • Margem Líquida — Mostra a porcentagem de lucro líquido em relação à receita líquida da empresa, indicando sua rentabilidade.

Além de aplicar todas essas dicas, também é válido contar com mais opções para incorporar em sua carteira. Nesse sentido, ao abrir uma conta na Avenue você tem à disposição mais de 8 mil ativos das principais bolsas de valores mundiais.

Assim, basta fazer a avaliação dos indicadores para encontrar alternativas de investimentos que ajudem a diversificar o seu portfólio, além de respeitar o seu perfil de investidor e os objetivos que deseja alcançar a partir da aplicação do capital financeiro disponível?

 

Quer aumentar as suas possibilidades de investimentos? Então, abra uma conta na Avenue agora mesmo!

 

Disclaimer

A situação de cada investidor é única e você deve considerar seus objetivos de investimento, tolerância ao risco e horizonte de tempo antes de fazer qualquer investimento. Investir envolve risco e você pode incorrer em um lucro ou perda, independentemente da estratégia selecionada. O conteúdo acima não é uma recomendação para comprar ou vender qualquer ativo individual ou qualquer combinação de ativos.

Qualquer informação não é um resumo completo ou declaração de todos os dados disponíveis necessários para tomar uma decisão de investimento e não constitui uma recomendação. Os investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os investidores.

Todo tipo de investimento, incluindo fundos, envolve risco. Risco refere-se à possibilidade de que você perderá dinheiro (tanto principal quanto qualquer ganho) ou não consiga ganhar dinheiro com um investimento. A mudança das condições do mercado pode criar flutuações no valor de um investimento em fundos. Além disso, existem taxas e despesas associadas ao investimento em fundos que geralmente não ocorrem na compra de ativos individuais diretamente

Avenue Securities Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. (“Avenue Securities DTVM”) é uma distribuidora de valores mobiliários brasileira devidamente autorizada pelo Banco Central do Brasil (“BCB”) e pela Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”) Os saldos disponíveis em Reais são mantidos na Avenue Securities DTVM Ltda., uma instituição financeira regulada. Os fundos detidos pela Avenue Securities DTVM não são cobertos pelo FGC (Fundo Garantidor de Créditos).

 

chat de atendimento Fale com a gente