Estive recentemente num show da cantora britânica Florence + The Machine. Não sei se já ouviram falar dela, mas fica aqui a dica. Não que eu seja um grande fã do seu trabalho, mas ela tem boas músicas e uma voz potente que se fez mostrar especialmente ao vivo entre pulos e corridas pelo palco. Tem que respeitar quem consegue manter o fôlego e o tom! Mas tem uma música dela que fala o seguinte:

“The dog days are done

The dog days are done

The horses are coming

So you better run”

Com esse conceito/ideia em mente começo o Insights dessa semana, chamando atenção para as dogs of the Dow, as quais podem potencialmente se tornar cavalos interessantes para quem quer montar uma carteira de dividendos no mercado americano.

Não entendeu? Então vamos entender!

A ESTRATEGIA

Em suma, a “Dogs of the Dow” nada mais é do que uma estratégia de seleção de ações, dedicada a escolher aquelas com maior pagamento de dividendos* e que compõem o índice Dow Jones. O conceito geral é alocar dinheiro de forma igual para as 10 ações com maior dividend yield entre as 30 componentes do DJIA. O conceito de montar uma carteira a partir de um indicador relacionado a dividendos não é novo, mas essa específica se tornou popular em 1991, com a publicação do livro de Michael B. O’Higgins, “Beating the Dow”. No livro, O’Higgins também cunhou o nome “Dogs of the Dow” – fonte.

A LÓGICA

Esmiuçando mais essa estratégia, convém lembrar o que é o indicado dividend yield. Ele nada mais é do que o valor percentual pago pela empresa sob a forma de dividendos nos últimos 12 meses, proporcionalmente ao valor da empresa. Na fórmula:

Dividendo dos últimos 12 meses (US$) / Preço da ação (US$)

A ideia é que empresas tradicionais (blue chips), tais quais as que compõem do Dow Jones, tendem a não mudar sua política de pagamento de dividendos de forma recorrente. Em contrapartida, o preço é uma variável que oscila dia após dia. Portanto, se empresas de grande porte mantém sua política de dividendos, a oscilação ou o nível de dividend yield seria decorrente essencialmente das movimentações de mercado. Logo, empresas com maior dividend yield representariam, em teoria, uma boa alternativa de alocação.

COMO COLOCAR EM PRÁTICA?

A ideia da estratégia é tornar a escolha de ações algo fácil e de simples execução. Então, ao limitar o universo de análise às 30 empresas do Dow Jones Index você simplifica o processo de análise. A partir disso, no fechamento do ano, você lista as ações com os 10 maiores dividend yield e investe uma quantia igual em dólares em cada uma delas.

Passado um ano, você apenas repete o mesmo processo, ou seja, calcula o dividend yield das 30 empresas do Dow Jones, lista as 10 maiores e balanceia a carteira a partir dessa nova composição.

E FUNCIONA?

Como uma teoria que ganhou alguma repercussão no mercado, existem alguns sites que acompanham a estratégia. Em especial o site www.dogsofthedow.com apresenta uma série de dados a respeito do tema como performance e composição histórica, as quais podem servir como ponto de partida para um estudo mais aprofundado por você investidor. Ainda, para mais informações sobre a teoria/estratégia, você pode acessar através desse link E o artigo de artigo de David I. Templeton, CFA, disponível no site Seeking Alpha, também traz considerações interessantes e fica aqui como uma sugestão de leitura/estudo para você, investidor.

E COMO FICARIA A CARTEIRA PARA 2023?

O site dogsofthedow apresenta sua versão da carteira. A tabela a seguir, retirada do site, lista as 10 ações da Dow com maior dividend yield no fechamento de 30 de dezembro de 2022.

Fonte: Dogs of the Dow

Esta não é uma recomendação para comprar ou vender as ações das empresas mencionadas. Este é um exemplo apenas para fins de ilustração. O desempenho passado pode não ser indicativo de resultados futuros. Investir envolve risco e você pode incorrer em um lucro ou perda, independentemente da estratégia selecionada.

RESSALVAS MUITO IMPORTANTES

Apesar da aparente simplicidade, vale ressaltar alguns pontos importantes que devem ser considerados pelo investidor:

 

  • Essa carteira hipotética de ações desconsidera o perfil de investidor. Nem todos os investidores possuem perfil para investir em ações, pois o investimento em ações possui riscos. Portanto, respeite o seu perfil de investidor.
  • O objetivo desse post foi apenas apresentar uma possível estratégia de investimento e uma forma de estudar o mercado americano. Nada do que foi escrito aqui deve ser considerado uma recomendação de investimento.
  • Vale lembrar que uma carteira de ações fica sujeita ao risco sistêmico de mercado, ou seja, o risco oriundo da possibilidade de que um evento de grave instabilidade sistêmica gere impactos negativos sobre o portfólio. Essa é uma estratégia que apresenta limitações em termos de diversificação de investimentos e correlação de ativos. Veja como exemplo que não há nenhuma consideração acerca do risco de alocação elevada em um único setor, por exemplo.

 

Deixando a teoria de lado e falando do mercado…

SEMANA CARREGADA

Passamos pela primeira semana do ano, a qual é tradicionalmente carregada por indicadores econômicos. Para não ficar enfadonho e enchê-los de gráficos e muita informação, vou ser conciso e falar do último e talvez mais importante indicador da semana, o Payroll, que mede a saúde do mercado de trabalho americano.

Lembro a todos que abordamos de forma detalhada e extensa o cenário macro e as perspectivas para 2023 numa live que está disponível aqui: Como se preparar par 2023, um ano de incertezas?.

Vamos ao Payroll. Na sexta-feira o departamento de trabalho americano divulgou os seguintes números:

Fonte: Investing

Apesar da criação de empregos maior que o esperado e da taxa de desemprego ter surpreendido vindo menor que o esperado, o mercado focou suas atenções nos salários. Na sexta-feira, os índices reagiram positivamente após a divulgação dos dados e o mercado parece ter gostado do dado. Por quê?

O principal componente de preocupação do FED recai nos salários, pois a continuidade de renda dos trabalhadores reforça o seu poder de compra e isso tende a retroalimentar a inflação. Em outras palavras, pouco adianta a mudança na taxa de desemprego se os trabalhadores continuarem percebendo aumentos de salários. Por esse motivo, o dado foi visto como positivo pelo mercado, pelo aumento de salários menor do que o esperado, reforçando a tendência de desaceleração dos aumentos de salários, tal como mostra o gráfico abaixo.

Fonte: CNBC

Mas, como disse, o dado mostrou um mercado de trabalho que segue forte e pujante, com forte criação de postos de trabalho. Aí o leitor pode estar se perguntando: mas como pode isso se vemos mais e mais notícias de demissões de diferentes empresas nos EUA? As notícias de demissões não têm gerado o efeito imaginado nos dados de emprego e a explicação para isso, em nossa visão, é a pujança de contratação de empresas menores (vide gráfico abaixo) e em especial do setor de Leisure (lazer), o qual nesse dado de sexta-feira apresentou criação de 67 mil postos, ou seja, 30% da criação do mês de dezembro – fonte: CNBC.

Fonte: The Daily Shot

Enfim, seguimos na mesma toada de 2022. Com riscos elevados para o mercado de ações na esteira da desaceleração da economia americana e seu impacto nos resultados das empresas. Nesse sentido, semana que vem a safra de balanços começa e abaixo você encontra a agenda de resultados corporativos:

 

Era isso, pessoal.

Me sigam nas redes sociais: @willcastroalves no Twitter ou no Instagram.

 

Aquele abraço!

William Castro Alves, Estrategista-chefe, Avenue Securities

*Os dividendos não são garantidos e devem ser autorizados pelo conselho de administração da empresa.

A Avenue Securities LLC é membro da FINRA e da SIPC. Oferta de serviços intermediada por Avenue Securities DTVM. Veja todos os avisos importantes sobre investimento: https://avenue.us/termos/.

As estratégias de investimento mencionadas aqui podem não ser adequadas para todos os investidores. A situação de cada investidor é única e você deve considerar seus objetivos de investimento, tolerância ao risco e outros fatores antes de fazer qualquer investimento. Investir envolve risco e você pode incorrer em um lucro ou perda, independentemente da estratégia selecionada. O conteúdo acima não é uma recomendação para comprar ou vender qualquer ativo individual ou qualquer combinação de ativos. Certifique-se de entrar em contato com um profissional qualificado sobre sua situação particular antes de tomar qualquer decisão de investimento.

O investimento internacional envolve riscos especiais, incluindo flutuações cambiais, diferentes padrões contábeis financeiros e possível volatilidade política e econômica.

Gostou deste artigo?

Se inscreva na nossa newsletter e fique por dentro de tudo

    Desejo receber atualizações de notícias, eventos e ofertas

    Ainda não é cliente?

    Abra sua sua conta sem custos para ter acesso a todo o nosso material

    Abra sua conta
    Fale com a gente