Vamos lá, temos muitas coisas acontecendo pelo mundo: guerra, preços de commodities em alta, inflação, juros… E qual o reflexo de tudo isso? O mais clichê possível: aumento da volatilidade em nível global. Esse foi, até agora, o reflexo sobre os mercados em nível agregado. Veja abaixo como o gráfico do VIX ajuda a evidenciar isso.


Investing.com

O Índice de Volatilidade CBOE® (Índice® VIX®) é uma medida fundamental das expectativas do mercado de volatilidade de curto prazo transmitidas pelos preços das opções do índice de ações S&P 500.

Mas antes de falar do cenário, deixe-me fazer um adendo na linha mais educacional…

Incerteza e mudança de carteira. Nesse cenário, as notícias podem incentivar-nos a fazer algo, ou seja, que ajustemos nosso portfólio ao sabor do novo cenário. É normal. O problema, a meu ver, é que esse cenário pode mudar drasticamente todos os dias e o nível de incerteza segue muito elevado. Antes de entrar nos assuntos mais conjunturais, vou divagar aqui sobre alocação baseada em expectativas, usando como exemplo as expectativas acerca dos juros americanos (assim como uso os juros poderiam citar a inflação, o PIB, a guerra, etc). Veja abaixo o gráfico que mostra a evolução das expectativas do mercado quanto a elevação de juros aqui nos EUA. No espaço de um mês o mercado sai de uma alta pretensão sobre os aumentos dos juros, para o oposto: uma expectativa de que não haverá o aumento de 0,5pp.


Newsletter do Wall Street Journal do dia 03/03/2022 – Real Time Economics: Fed Ready to Raise Rates, Oil Prices Surge, Worker Shortage Hobbles Daycares

E olhando além (ampliando o período de análise), vale analisar um gráfico que já usei aqui anteriormente. Vemos como o mercado é capaz de errar sistematicamente em suas previsões sobre os juros.


Roberto Perli

Como disse, assim como esse fato acontece com os juros, também acontece com outros diversos indicadores. Por isso, penso que não devemos preocupar-nos tanto em alterar a estrutura do portfólio ao sabor de cada nova análise ou nuance de cenário.

Agora vou falar da perspectiva e receio atual em relação a possibilidade de um cenário de estagflação, mas isso não deve ser um dínamo de alteração para sua carteira. Mudanças pontuais fazem parte, mas sempre é importante lembrar que investir é geralmente considerado como um ato de paciência e não de constante movimentação.

E prometo que ainda vou falar dos impactos do conflito, mas antes…

Powell e os juros
Tivemos um outro ponto relevante da semana, que foram os comentários de Jerome Powell sobre os juros. O presidente do FED deu um depoimento ao Congresso onde entre outros pontos destacou:
O cenário econômico segue “altamente incerto”, mas os efeitos da guerra na Ucrânia não tiraram o Federal Reserve de seu curso de aperto monetário;
Ele disse ainda que apoia um aumento da taxa de 25pb na reunião de 15 a 16 de março;
Também deixou em aberto a possibilidade de aumentos maiores no final deste ano;
Por fim, reforçou a necessidade e intenção de contrair o balanço do FED nos próximos meses.
Mais informações sobre seus comentários você encontra aqui na reportagem do WSJ, ou da CNBC.

E por que esses pontos são relevantes?
Porque dão direção ao mercado. Em um momento de incerteza ao reafirmar o compromisso de aumento de juros e contração de balanço, Powell consegue ajustar as expectativas para o próximo aumento de juros.

Economia forte
Pode parecer contraditório aumentar juros em ambiente de guerra que, normalmente, tende a gerar contração da atividade, mas o fato é que o real impacto econômico da guerra para os EUA tende a ser diminuto. Uma série de dados dos EUA sugere que sua atividade econômica acelerou nas últimas semanas. Os gastos do consumidor no país aumentaram rapidamente em janeiro e os preços subiram mais rapidamente que o esperado.

A pesquisa da ADP mostrou uma geração de empregos maiores que o esperado pelo mercado – foram adicionados 467.000 empregos em janeiro. As vendas no varejo subiram 3,8% com ajuste sazonal em relação a dezembro – e os pedidos dos fabricantes de bens duráveis também aumentaram, de acordo com um relatório do Departamento de Comércio. Os pedidos subiram 1,6% em janeiro em relação ao mês anterior, passando para US$227,5 bilhões ajustados sazonalmente.

Corroborando com os fatos e com o intuito de ilustrar a questão, coloco esse gráfico, sobre o índice de ocupação de restaurantes nos EUA. Pela primeira vez começamos a ver números acima dos de 2019. Ou seja, pela primeira vez desde a pandemia os restaurantes passaram a apresentar crescimento frente aos níveis pré-pandemia. A STR LLC, uma empresa de pesquisa que acompanha as tendências hoteleiras, indica que a ocupação nos hotéis dos EUA cresceu.


The Wall Street Journal

Qual é a conclusão aqui? A economia americana segue apresentando dados de forte atividade, o que por sua vez materializa a necessidade de aumento de juros. Esse parece ser um evento dado.

Rússia e Ucrânia
Muito tem se falado em Rússia e Ucrânia. Portanto, tentarei não ser enfadonho e trazer apenas dados, ao invés de uma análise geopolítica ou de cenários.

Além de relevante no cenário de exportação de petróleo e gás, o país também é importante para outros mercados, como: paládio, platina, ouro, níquel, potássio e trigo (produtos onde chega a representar mais de 5% das exportações globais). Em termos bancários, as sanções aplicadas aos bancos e aos títulos russos tendem a ser diminutas e mais concentradas nos bancos europeus. O gráfico abaixo mostra a exposição em termos de bilhões de dólares por país.


Money Times

A Ucrânia também é pouco representativa no PIB global, mas tem importância em alguns mercados específicos. Em 2019, o país ficou em 51º lugar no mundo em termos de valor total de exportação, mas guarda relevância em termos de exportações agrícolas. Eles produzem 18% das exportações mundiais de sementes de girassol, cártamo ou óleo de semente de algodão; 13% da produção de milho; 12% das exportações globais de cevada; e 8% de trigo.

O infográfico abaixo sumariza os principais produtos exportados por ambos os países, bem como seus principais parceiros comerciais.


Aljazeera

Em suma, ambos os países são importantes players nos mercados de commodities. Não é por acaso que o setor atingiu novas máximas nessa semana. O gráfico abaixo mostra que a alta observada foi a maior variação positiva desde o choque do petróleo, na década de 70.


The Daily Shot

E o gráfico mensal abaixo mostra que o índice de preços das commodities atingiram seu maior valor em mais de uma década.


Investing.com

Até onde vai isso? Não há como saber, mas de fato esse tem sido o principal motivador de alta para as commodities recentemente. Para aqueles que pensam em investir em commodities ou empresas de commodities agora, eu gosto de lembrá-los que o mercado pode antecipar movimentos e que tais ativos também já podem refletir, em boa medida, essas altas.

O principal problema e risco atual para a economia mundial associado ao conflito é até onde esse movimento de alta das commodities poderiam ser uma grande “draga” ao crescimento global. A análise do Estrategista-Chefe da Pictet Asset Management compara os preços de petróleo com cenários de recessão na economia. Podemos ver que já tivemos diversos períodos em que as altas de preços de petróleo levaram a uma recessão em nível global.


Luca Paolini

E essa alta de preços de commodities também pode alimentar expectativas inflacionarias – vide gráfico abaixo.


The Daily Shot

Vivemos um cenário de muita incerteza, assim como comentei no início. Em meio a elas, surge um cenário desafiador e com riscos potenciais relevantes. Podemos caminhar para um cenário de estagflação, caso os movimentos observados nos últimos dias persistam e é esse o grande receio que temos hoje no mercado. Essa é a análise de cenário atual, no entanto, nada garante que teremos a mesma análise na semana que vem.

Para mais informações e análises como essa, me sigam nas redes sociais – Twitter e Instagram.

Aquele abraço,
WILLIAM CASTRO ALVES

Investir em commodities é geralmente considerado especulativo devido ao potencial significativo de perda de investimentos. Seus mercados provavelmente serão voláteis e pode haver flutuações acentuadas de preços mesmo durante períodos em que os preços em geral estão subindo.

 

Gostou deste artigo?

Se inscreva na nossa newsletter e fique por dentro de tudo

    Desejo receber atualizações de notícias, eventos e ofertas.

    Ainda não é cliente?

    Abra sua sua conta sem custos para ter acesso a todo o nosso material

    Abra sua conta