Avenue

Por

William Castro

Formado em economia pela UFRGS – RS. Em 2004, iniciou sua carreira na Solidus Corretora, com passagens pelo Koliver Merchant Bank e Banco Alfa. Foi sócio, analista-chefe e um dos principais porta-vozes da XPInvestimentos. Também foi sócio e líder de gestão da VGRGestão de Recursos. Possui as certificações Series 7 e 24. É estrategista-chefe, sócio e porta voz da Avenue desde 2018.

Compartilhe este post

Expectativa x Realidade

Expectativa: +2,5% ante o 1T23;

PIB do 4T23: 3,4% na comparação anual

PIB do 1T24 divulgado: +1,6%

 

Impacto

  • Futuros de ações cederam.
  • Índice dólar (DXY) cede levemente, mas contra o Real a moeda americana se valoriza.
  • Taxas de juros dos títulos de dívida americana subiram.

 

Leitura e Abertura

O produto interno bruto dos EUA aumentou a um ritmo anualizado de 1,6% nesse 1T24, número esse bem abaixo dos 2,4% estimados pelo mercado. Abrindo entre os componentes do PIB podemos dizer que os gastos dos consumidores foram os principais responsáveis pelo número ter vindo aquém das estimativas. Os gastos do consumidor tiveram aumento de 2,5% relativamente ao mesmo período do ano anterior, e ante os 3,3% do 4T23, vindo abaixo da estimativa de 3% de Wall Street. Ainda na ponta negativa, menos investimentos em estoques e menores exportações também ajudam a explicar o número mais fraco. Na ponta positiva, os investimentos das empresas e os gastos do governo ajudaram a manter o PIB positivo.

Outro ponto negativo do dado, foi o deflator do PIB que mostrou uma inflação maior que a esperada. O índice de preços de despesas de consumo pessoal subiu a um ritmo anualizado de 3,4% no trimestre, o seu maior ganho em um ano. Olhando o núcleo, a variação foi ainda maior com o índice alcançando alta de 3,7%.

 

Os números foram ruins criando a percepção de um cenário de baixo crescimento e resiliência da inflação. Não por acaso vimos a reação nos juros para cima e ativos de risco para baixo. O dado elevou as perspectivas de que os juros possam inclusive não ceder em 2024. Amanhã temos o dado do PCE, principal métrica de inflação acompanhada pelo FED, o qual vai ser um fator chave para a definição do cenário de probabilidades relativamente a política de juros da Reserva Federal americana.

 

Fonte: CNBC – 25/abr/2024

 

@willcastroalves

Estrategista-chefe da Avenue Securities

 

DISCLAIMER

A Avenue Securities LLC é membro da FINRA e da SIPC. Oferta de serviços intermediada por Avenue Securities DTVM. Veja todos os avisos importantes sobre investimento: https://avenue.us/termos/.

As expressões de opinião são a partir desta data e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio. Não há garantia de que estas declarações, opiniões ou previsões aqui fornecidas se mostrem corretas. Este material está sendo fornecido apenas para fins informativos. Qualquer informação não é um resumo completo ou uma declaração de todos os dados disponíveis necessários para tomar uma decisão de investimento e não constitui uma recomendação.

 Não há garantia de que essas opiniões ou previsões aqui fornecidas se mostrem corretas.

Os links estão sendo fornecidos apenas para fins informativos. A Avenue não é afiliada e não endossa, autoriza ou patrocina nenhum dos sites listados. A Avenue não é responsável pelo conteúdo de qualquer site ou pela coleta ou uso de informações sobre os usuários de qualquer site.

 

Por

William Castro

Formado em economia pela UFRGS – RS. Em 2004, iniciou sua carreira na Solidus Corretora, com passagens pelo Koliver Merchant Bank e Banco Alfa. Foi sócio, analista-chefe e um dos principais porta-vozes da XPInvestimentos. Também foi sócio e líder de gestão da VGRGestão de Recursos. Possui as certificações Series 7 e 24. É estrategista-chefe, sócio e porta voz da Avenue desde 2018.

chat de atendimento Fale com a gente