Uma das dúvidas, especialmente entre os investidores iniciantes, é a seguinte: como investir nos EUA? Esse questionamento é bastante pertinente, pois sabemos que os Estados Unidos são a principal economia do mundo. Desse modo, quem investe em ações do mercado americano pode ter acesso a diferentes oportunidades de investimentos.

Pensando na importância do tema, neste conteúdo explicaremos como funciona o mercado financeiro americano e como você pode fazer investimentos no país. Continue com a gente.

Como funciona o mercado financeiro americano?

O mercado financeiro americano é um dos principais do mundo e bastante conhecido mundialmente. A região de Wall Street, em Nova York, é considerada o centro do mercado financeiro americano. É nesse local que está sediada a principal bolsa de valores do mundo: a NYSE (New York Stock Exchange).

Além da bolsa de Nova York, os Estados Unidos contam com outra bolsa de relevância mundial, a NASDAQ. Ambas contam com empresas de variados nichos, ou seja, ao investir no mercado financeiro americano, você terá a oportunidade de diversificar a sua carteira.

Vale a pena investir nos EUA?

Por que investir em outro país, se existe uma bolsa de valores no Brasil? Existem diferentes razões para cada investidor escolher o seu local de negociação. Alguns, inclusive, podem optar por investir tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil, escolhendo a proporção ideal de cada investimento na sua carteira.

Por isso, separamos abaixo alguns fatos que podem levar os investidores a considerarem o investimento nas bolsas americanas.

Os Estados Unidos têm uma economia dinâmica, com o maior PIB (Produto Interno Bruto) do mundo;

Empresas globais e inovadoras estão listadas nas bolsas americanas. Algumas delas são a Microsoft, Apple, Google, Amazon, Tesla, Nvidia, entre tantas outras;

São cerca de 6.000 empresas listadas nas duas principais bolsas americanas, a NYSE e a Nasdaq. No Brasil, são menos de 400. E, considerando outros ativos, como ETFs, na Avenue estão disponíveis mais de 8.000 ativos na plataforma;

Ao investir nos EUA, você está em contato com investidores de todo o mundo;

Historicamente, o mercado americano apresenta menos volatilidade que o mercado brasileiro;

O investimento internacional oferece exposição ao dólar, uma moeda que tende a oferecer proteção contra o real em momentos de crise.

Se considerarmos o tamanho da economia americana e o perfil de empresas sólidas e inovadoras, pode valer a pena investir parte do seu capital em companhias americanas.

Assim como em toda aplicação em renda variável, no entanto, é importante analisar sua situação financeira, seus objetivos e a sua disposição à tomada de risco antes de investir.

Como fazer investimentos nos Estados Unidos?

Não há segredos em relação a esse tema. Existem duas opções mais comuns para isso.

1. Acesso direto
A primeira delas é por meio da compra direta de ações de empresas americanas que estão listadas nas bolsas do país (NYSE e NASDAQ).

Você também tem acesso a ativos como ETFs, que são fundos de investimento negociados na bolsa. Trata-se de um investimento prático, pois comprando apenas 1 fundo, você pode investir em empresas distintas e de vários setores. Ou seja, é possível diversificar a sua carteira de investimentos comprando um único ativo.

Além de ações e ETFs, os investidores encontram nas bolsas americanas produtos como ADRs, que são recibos de ações ao redor do mundo negociadas nos Estados Unidos, e REITs, similares aos nossos fundos imobiliários.

Todos esses investimentos podem ser feitos com poucos dólares – nos Estados Unidos, existe um mercado fracionário de verdade, permitindo ao investidor comprar uma parte de uma ação, por exemplo.

Para investir direto nos Estados Unidos, basta abrir uma conta em uma corretora americana, como a Avenue – o processo de abertura de conta pode levar poucos minutos, e você tem acesso a uma plataforma em português.

2. Acesso indireto
Também é possível investir nos Estados Unidos de modo indireto, sem abrir a conta em uma corretora americana. Ou seja, direto pela corretora no Brasil.

Nesse caso, existem dois caminhos principais: por meio de fundos brasileiros que replicam ETFs americanos, ou por meio de BDRs, que são recibos brasileiros de ações americanas.

Mas, como esse caminho envolve mais intermediários, o acesso indireto costuma embutir custos adicionais, que podem aparecer da seguinte forma:

taxas mais altas em fundos brasileiros quando comparado aos ETFs originais nos Estados Unidos;

possível perda de eficiência tributária do BDR em comparação à compra direta das ações nos Estados Unidos, especialmente para o pequeno investidor;

repasse menor de dividendos;

Entre outros.

Como começar a investir?

Uma das formas de começar a investir nos EUA é contando com uma corretora americana especializada no assunto.

Nesse sentido, a Avenue é uma corretora registrada nos EUA, com escritórios em Miami e São Paulo, pensada para oferecer uma experiência brasileira nos investimentos internacionais.

Com profissionais especializados no mercado americano, a equipe de atendimento é formada por brasileiros, portanto, com auxílio em português, buscando facilitar o acesso ao sistema financeiro americano e, assim, proporcionar oportunidades para investidores que não moram nos Estados Unidos.

Para isso, é preciso abrir conta e seguir o passo a passo simplificado da plataforma. O processo todo de abertura dura poucos minutos.

Gostou desse post? Conheça a Avenue e veja como podemos te ajudar em sua rotina de investimentos.

Gostou deste artigo?

Se inscreva na nossa newsletter e fique por dentro de tudo

    Desejo receber atualizações de notícias, eventos e ofertas

    Ainda não é cliente?

    Abra sua sua conta sem custos para ter acesso a todo o nosso material

    Abra sua conta